Relatos emocionados de médicos no incêndio do Hospital Badim

porCIPERJ

Relatos emocionados de médicos no incêndio do Hospital Badim

fonte: CREMERJ

Enfatizamos que o CREMERJ se orgulha da rede de solidariedade que os médicos fizeram para atender os pacientes da melhor forma possível, mesmo fora de seus plantões!

RELATO 1

Bom Dia amigos, gostaria de dar aqui o meu testemunho, entrei no centro cirúrgico do Badim ontem às 14h, em torno de 17:45, no decorrer da cirurgia que auxiliava, fomos informados de fogo no prédio antigo e por isso, deveríamos evacuar  imediatamente o centro cirúrgico. Eu já havia visto isso em filmes, mas nunca pude imaginar que algo parecido poderia ocorrer comigo. Eu, 3 funcionários do hospital e a anestesista colocamos a paciente ainda intubada numa preencha, só deu tempo de pegar uma bala de O2, um ambu e descer os 4 andares pela escada ventilando na mão.  Na rua, conseguimos entubar a paciente que foi transferida para o Rios D’Or. No caminho dos andares me impressionou a capacidade de mobilização dos funcionários para o resgate de todos os pacientes. Se não fosse por eles, imagino uma tragédia maior. Havia um direcionamento muito eficaz agrupando os pacientes no quarto 223 que dava acesso às escadas laterais do prédio anexo. Isso gerou um fluxo ordenado de saída. Por conta dessa sinalização, não vi ninguém perdido pelos corredores, o que deve ter salvado muitas vidas. Utilizando essa escada externa, consegui subir outras 5 vezes descendo com pacientes que estavam sem possibilidade de caminhar, um deles da rpa ainda sob efeito de raquianestesia. Não foi fácil, pois devido ao peso, eram necessárias no mínimo 6 pessoas para descer cada paciente com segurança. Felizmente, com o grupo de funcionários ali presente fomos capazes de descer o máximo de pacientes possível, até que os bombeiros chegassem. Não havia fogo, mas a fumaça quente se formou muito rápido e em minutos não era possível enxergar.  Eu particularmente fico sentido por não conseguir ter feito mais, eu vi ao menos 7 leitos com pacientes em ventilação mecânica que não conseguimos retirar a tempo até que os bombeiros impedissem nossa subida devido ao risco inalatório. A partir daí somente eles com máscaras de oxigênio eram capazes de acessar o prédio.  Não sou funcionário da rede, apenas um cirurgião que estava operando no momento do incidente. A meu ver, se não fossem a garra e organização dos funcionários para salvar o máximo de pacientes possível nos 45minutos cruciais (até a chegada dos bombeiros) imagino um tragédia muito pior. Na hora havia cerca de 200 funcionários e 100 pacientes, a capacidade de resgate desses 200 heróis foi algo sobre humano. Merecem o meu máximo respeito e admiração pelo comprometimento em não apenas cuidar, mas salvar vidas. Aos colegas da rede, diretoria do hospital e familiares de pacientes fica aqui meu sincero sentimento pelo ocorrido.

RELATO 2

RELATO 3

RELATO 4

Caros amigos,

Ontem às 18:54h, durante a Cerimônia de Abertura do Congresso SOPTERJ 2019, chegou a notícia do incêndio no Hospital Badim. Havia 103 pacientes internados no hospital e uma numerosa equipe de saúde, incluindo médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e pessoal de apoio.

Às 19:24h recebemos informação de ambulâncias de vários hospitais a caminho do local do incêndio e vagas disponibilizadas para receber os pacientes e as vítimas do Badim.

Às 19:49h Luis Paulo Loivos e equipe já estavam a caminho do Hospital Quinta Dor para atendimento de eventuais vítimas de queimaduras por inalação.

Às 19:54h Leonardo Palermo se encontrava de prontidão em frente ao Badim para qualquer atendimento necessário.

Às 20:46, além da mobilização de toda Rede Dor, os Hospitais Universitários da UERJ, UFRJ e UFF, a Casa de Saúde São José , Unimed Rio e broncoscopistas com equipamentos próprios já haviam se colocado à disposição para trabalhar e ajudar conforme a necessidade.

Às 21:19h tivemos notícia de 8 pacientes de 8 pacientes com queimaduras graves de vias aéreas em atendimento no Hospital Quinta Dor.

Às 22:07 Luis Paulo Loivos, Leonardo Palermo, Arthur Vianna, Raquel Salles, Marcos Ventura e residentes da UERJ e UFRJ estavem em atividade, tendo realizado 4 broncoscopias , com 5 broncoscópios à disposição.

Às 22:22h houve anúncio de hospitais cedendo kits para dosagem de cianeto.

Às 00:17 jà haviam sido realizadas 13 broncoscopias no Hospital Quinta Dor, havendo 4 pacientes com queimaduras graves de vias aéreas. Estavam in loco 13 pneumologistas e 8 aparelhos de broncoscopia. Seis exames também haviam sido feitos pelos Drs Gabriel e Mariana no Hospital Israelita e 2 broncoscopias no Hospital Copa Dor pelo Raphael Pottes.

Essas são as notícias que chegaram pelos nossos grupos de whatsapp. Podem ter algumas informações imprecisas.

Hoje é o segundo dia do Congresso SOPTERJ 2019. A palavra “congresso” tem origem no latim “congressus”e significa “reunião, encontro”. Também advém do vocábulo “congradi”, que significa “encontrar com” e “lutar com”.

Até o momento há informação de 11 mortos na tragédia do Hospital Badim. Não é possível precisar se haverá mais mortes. Estamos todos consternados. Mas os pacientes e equipes do Hospital Badim não estiveram sozinhos nesse momento tão triste.

Loivos, Palermo, Vianna, Pantoja, Pottes, Ventura, Salles, Gabriel, Mariana, residentes de pneumologia e tantos outros talvez injustamente não citados lutaram juntos essa noite e seguem em atividade para tentar reduzir a dimensão da tragédia do Hospital Badim.

E assim seguiremos “lutando com”, em congradi, em congresso, como pneumologistas.

Com respeito,

Congresso SOPTERJ 2019

Sobre o Autor

CIPERJ administrator

Desde sua criação, a CIPERJ tem como principal objetivo unir a classe no Estado do Rio de Janeiro, lutando por seus direitos e, principalmente, por condições de trabalho ideais. Além disso, a entidade é responsável pela atualização de seus associados. Para isso, realiza reuniões científicas e divulga cursos e eventos que sejam importantes para o desenvolvimento do profissional.