Cirurgia Pediátrica

Como o nome já diz, a Cirurgia Pediátrica é a área da cirurgia que trabalha com crianças. Este setor existe pois as operações em crianças são bem diferentes das que os cirurgiões de adultos estão acostumados a trabalhar diariamente.

Para se tornar um cirurgião pediátrico, o médico tem de fazer dois anos de residência em cirurgia geral. Após isso, ele ainda fará mais três anos de residência em cirurgia pediátrica, onde verá as diferenças existentes no tratamento a um adulto e a uma criança. Além de serem mais delicadas de se trabalhar por terem corpos menores do que os adultos, normalmente as operações são realizadas com anestesia geral e não necessitam de dormir no hospital, as crianças ainda apresentam problemas específicos desde a barriga da mãe até a adolescência. Casos cirúrgicos muito comuns em crianças são as hérnias inguinais, hérnia umbilical, testículos que estão situados na bolsa escrotal, hipospádia, fimose, tumores, entre outros. Depois da residência em Cirurgia Pediátrica, o médico ainda realiza provas escrita e oral e, caso aprovado, recebe o título de Cirurgião Pediátrico.

Vale ressaltar que para uma criança realizar uma cirurgia, são feitos vários exames, onde os cirurgiões pediátricos trabalham em conjunto com neonatologistas e pediatras, a fim de encontrar a melhor solução para o caso clínico. A opção pela cirurgia será tomada, se o problema atrapalhar de alguma forma o crescimento saudável da criança.

A Cirurgia Pediátrica é dividida em áreas, cada uma contando com sua especificidade, que podem ser vistas abaixo:

Neonatal Fase de tratamento ao recém-nascido, até os 28 dias de idade, tratando de bebês prematuros ou a termo. A atuação do cirurgião pediátrico consiste na constatação de má-formações congênitas e de como tratá-las cirurgicamente.

Pré-natal Período que engloba toda a gravidez, onde são feitos exames para ver se o bebê está se desenvolvendo de forma ideal. Caso surja algum problema, o cirurgião pediátrico conscientiza os pais da situação e toma as medidas cirúrgicas adequadas, após o nascimento da criança e, em alguns casos (hidrofenoses, válvulas de uretra, como exemplo), o cirurgião atua na criança ainda intra-útero, realizando derivações urinárias.

Urologia Pediátrica Os casos mais freqüentes nos quais atuam os cirurgiões pediátricos são relativos a má-formações e doenças nos órgãos genitais e urinários.

Trauma É um dos principais motivos de morte de crianças em todo o mundo e os cirurgiões pediátricos estão preparados para lidar com qualquer situação traumática.

Oncologia Pediátrica Muitas crianças acabam desenvolvendo tumores, sejam eles benignos ou malignos. O cirurgião pediátrico tem a função de ver o tratamento mais eficaz para a criança.

Videolaparoscopia Modalidade que cada vez mais faz parte da cirurgia pediátrica, que necessita de um grande aprendizado.